Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Português
Português

Destaques

Notícias

  • 18 janeiro 2019 | SEF deteta droga e documentos falsificados no Aeroporto de Lisboa

    ​O Serviço de Estrangeiros Fronteiras (SEF) detetou no Aeroporto de Lisboa, nos dias 16 e 17 de janeiro, vários cidadãos estrangeiros na posse de documentos falsificados e, também,  de produto estupefaciente.

    Ontem ao final do dia, no controlo documental, foram levantadas dúvidas sobre as condições de entrada de dois cidadãos estrangeiros, provenientes de um voo de Londres, e em fase de controlo pormenorizado constatou-se que os passaportes eram falsificados. Durante a realização de revista foi detetado produto estupefaciente dentro dos forros das mochilas que cada um dos passageiros transportava.

    Os dois cidadãos estrangeiros e o produto estupefaciente foram entregues à Polícia Judiciária.

    Na tarde do mesmo dia, foi detetado um outro cidadão estrangeiro com dois pacotes suspeitos de serem produto estupefaciente presos ao corpo, um na zona da barriga e outro na zona das costas. O passageiro e o produto, que se suspeita ser cocaína, foram entregues à Polícia Judiciária para os ulteriores trâmites processuais.

    A 16 de janeiro, o SEF deteve três passageiros com documentos falsificados: um passaporte comum com aposição de visto contrafeito, um passaporte comum com subtração de páginas e um passaporte comum falsificado.

    Os documentos fraudulentos foram entregues em juízo, junto com os detidos.

    Ler mais

  • 17 janeiro 2019 | SEF detém última suspeita de grupo criminoso que aliciava portuguesas para casamentos de conveniência

    ​O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deteve, esta manhã, em Lisboa, a última suspeita de um grupo criminoso organizado que recrutou, pelo menos, 50 mulheres portuguesas para casamentos de conveniência, um grupo indiciado pelos crimes de associação ao auxílio à imigração ilegal, imigração ilegal, falsificação ou contrafação de documentos, casamentos de conveniência e associação criminosa.

    No âmbito da operação “Amouda", iniciada na passada terça feira SEF, em colaboração com as autoridades belgas, havia sido detidos três suspeitos. Os mesmos foram presentes ontem a Tribunal tendo-lhe sido aplicada a medida de prisão preventiva, no Estabelecimento Prisional de Lisboa. Foi ainda constituída arguida uma advogada e um quinto suspeito ficou obrigado a apresentações diárias na PSP da área de residência. A mulher detida hoje, angariadora e nubente, será ouvida amanhã no Tribunal de Loures, a fim de serem aplicadas as devidas medidas de coação.

    Nesta operação, que contou com o apoio da Europol e da Eurojust, foram realizadas 18 buscas domiciliárias, encontrados dezenas de documentos falsificados, apreendido diversos equipamentos informáticos (laptops, desktops e outros dispositivos móveis), grandes quantias de dinheiro e, ainda, produto estupefaciente.

    O grupo criminoso estava envolvido na facilitação da imigração ilegal, através da organização de casamentos conveniência, predominantemente entre cidadãs nacionais e cidadãos indostânicos.

    As mulheres portuguesas eram recrutadas para casar com homens de origem indostânica, que não conheciam, e, em contrapartida, recebiam cerca de cinco mil euros. Depois, os casais viajavam para a Bélgica, onde os cidadãos indostânicos tentavam a legalização por via do casamento com cidadã comunitária, o que permitia aos maridos permanecer na União Europeia, obter autorizações de residência e, em seguida, obter lucros ilícitos com benefícios sociais.

    O SEF deu início a esta investigação em 2016, após as autoridades belgas terem detetado um aumento suspeito do número de certidões de casamento emitidas em Portugal, que viriam a revelar-se falsas.

    Devido à natureza internacional do crime, foi criada uma Equipa de Investigação Conjunta (JIT) que culminou num Dia de Ação Conjunta, realizada simultaneamente em Bruxelas (Bélgica), Lisboa e Algarve. Para facilitar a cooperação direta, oficiais belgas estiveram presentes em Portugal enquanto uma equipa do SEF viajou para a Bélgica.

    A Europol apoiou a operação conjunta no centro de coordenação criado pela Eurojust. Analistas da Europol foram, também, destacados para a Bélgica e Portugal para verificação cruzada de informações em tempo real e análise forense de telemóveis.

    Ler mais

  • 15 janeiro 2019 | Desmantelado grupo criminoso que celebrava casamentos de conveniência

    ​Um grupo criminoso organizado, que recrutou pelo menos 50 mulheres portuguesas para casamentos de conveniência, foi desmantelado hoje pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e pelas autoridades belgas, tendo sido detidos três suspeitos e constituída arguida uma advogada.

    Nesta operação, que hoje terminou e que contou com o apoio da Europol e da Eurojust, foram realizadas 18 buscas domiciliárias, encontrados dezenas de documentos falsificados, apreendido diversos equipamentos informáticos (laptops, desktops e outros dispositivos móveis), grandes quantias de dinheiro e ainda produto estupefaciente.

    O grupo criminoso estava envolvido na facilitação da imigração ilegal, através da organização de casamentos conveniência, predominantemente entre nacionais portugueses e indostânicos.

    As mulheres portuguesas eram recrutadas para casar com homens de origem indostânica, que não conheciam, e, em contrapartida, recebiam cerca de cinco mil euros. Depois, os casais viajavam para a Bélgica, onde os cidadãos indostânicos tentavam a legalização por via do casamento com cidadã comunitária, o que permitia aos maridos permanecer na União Europeia, obter autorizações de residência e, em seguida, obter lucros ilícitos com benefícios sociais.

    O SEF deu início a esta investigação em 2016, após as autoridades belgas terem detetado um aumento suspeito do número de certidões de casamento emitidas em Portugal, que viriam a revelar-se falsas.

    Devido à natureza internacional do crime, foi criada uma Equipa de Investigação Conjunta (JIT) que culminou hoje com um Dia de Ação Conjunta.

    A operação, intitulada “Amouda", foi realizada simultaneamente em Bruxelas (Bélgica), Lisboa e Algarve. Para facilitar a cooperação direta, oficiais belgas estiveram presentes em Portugal enquanto uma equipa do SEF viajou para a Bélgica.

    A Europol apoiou a operação conjunta no centro de coordenação criado pela Eurojust. Analistas da Europol foram, também, destacados para a Bélgica e Portugal para verificação cruzada de informações em tempo real e análise forense de telemóveis.

    Ler mais

Contactos

Rede fixa

808 202 653

Para marcações e informações

Rede móvel

808 962 690

Para marcações e informações

Email

gricrp.cc@sef.pt

Para informações